Querer, não ter, fingir, fugir

Publicado: 6 de junho de 2011 em amor, Dividindo, Pensamentos

As pessoas desistem tão facilmente do amor, elas se abatem com qualquer decepção, desistem no primeiro não e se alimentam de uma auto-pena que as fazem se sentir vitimas de tudo e todos. “Ohhh porque nada da certo comigo?”, “Ahh como o amor é cruel!”, “Eu cansei de sentir, cansei!”. Besteira…
As pessoas ficam nessa de querer, não ter, fingir, fugir e já não lutam mais pelo o que acreditam, as pessoas nem sabem ao certo no que acreditam, elas não insistem, não protestam, não se arriscam. E ainda acham que foram vitimas de um Bullying do amor. (Aquele onde o amor as perseguem sistematicamente para entre outras coisas fazer com que elas se sintam ridicularizadas por não serem devidamente correspondidas). E sem se dar conta, elas ficam nessa de se envergonhar por sentir.  Como se se sentir fosse um crime ou qualquer outra coisa passível de punição. E por assim pensar, elas se punem. Elas simplesmente vão aceitando a perda do romantismo, abrindo mão dos pequenos gestos que com o tempo se tornam grandes aja vista o vazio que fica, o vazio que cresce e vai tomando cada espaço, cada pensamento desesperançoso. E é triste ver que as pessoas querem o amor mas não fazem nada que as tornem dignas de merece-lo. É triste porque de certa forma todo mundo merece amar e ser amado, porém são poucos aqueles que não desistem do amor. A maioria simplesmente pega o caminho mais fácil da razão; eles sabem exatamente aonde vão chegar, sabem muito bem como proceder, mas vivem em uma espera silenciosa por um desvio, uma mudança na rota, ou qualquer outro acaso que os levem de encontro para eles mesmos.
É uma pena, realmente é uma grande pena que as pessoas desistam assim tão facilmente do amor e apliquem como parâmetro de comparação para as futuras relações todas as suas frustrações. Elas se esquecem, elas infelizmente se esquecem que cada pessoa é um universo a ser explorado e mal sabem que por mais que elas desistam do amor, ele jamais desistirá delas. Porque o amor é incansável. Vai-se o tempo, vão-se as pessoas, o amor fica.
 
 
“Ainda que incompreendido, o amor fica em alguma parte de nós, ele fica para dar sentido a essas coisas que fogem da razão e as vezes as nossas próprias vidas. Ele fica, eu sei que ele fica. Ele ficou em mim”.
Anúncios
comentários
  1. Letícia disse:

    Tu fala do amor de uma forma muito verdadeira Rafa, escreve muito bem é um poeta mesmo. Parabéns!

  2. Débora disse:

    Boom rafa , achei muito lindo tua postagem , mas eu descordo em alguns pontos , tipo eu mesma , não desisti facil assim do meu amor , mas é que não tinha outra saida a não ser desistir , mas isso não quer dizer que eu não pense nele, que o meu coração não bata mais forte por ele , que as minhas mãos fiquem tremolas quando ele chega ou passa por mim,que as minhas pernas fiquem bambas quando ele me dá um simples ooi , amor é uma cooisa muito complicado , pena que nem sempre tu é correspondido, ou tem vezes que tu é enganado , que tu é iludido , eu mesma fui enganada esse tempo todo , pena que existam pessoas que ainda brincam com o sentimento alheio , pena mesmo . :/

  3. Andrio Gonçalves disse:

    Talvez a Luta,não seja a melhor forma para encarar o “Amor”.
    Pra que ficar tocando na ferida,se com o tempo ela vai cicatrizar???
    na luta pode perder e ficar muito mais triste (ainda) ou ganhar e não saber quando vai acabar.
    Bom texto muito bom mesmo,o Titulo esplica bem o texto!muito bom.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s